Saúde intestinal: saiba qual a frequência normal para ir ao banheiro?



Não existe uma regra exata, mas veja quais fatores prejudicam e quais favorecem a saúde do intestino.

Ao longo dos anos, quanto mais produtos industrializados surgiam nas prateleiras do supermercado, mais dificuldade as pessoas desenvolviam para evacuar.

Por isso, atualmente o desequilíbrio intestinal é bastante comum.

O surgimento dos vasos sanitários no modelo que são feitos hoje também prejudica a posição natural do corpo para evacuar.

Ao ficarmos sentados o reto não consegue atingir o ângulo adequado. A melhor posição é agachado, com os joelhos próximos do peito.

Mas além destes fatores, o que é levado em conta para considerar que um processo de evacuação está deficiente ou saudável?

Esta é uma questão bastante variável, já que cada organismo trabalha de um jeito diferente.

Sobre a frequência que cada pessoa deve ir ao banheiro é considerado normal tanto 3 vezes na semana quanto 3 vezes ao dia.

Menos ou mais do que isso pode ser um alerta, que se manifesta, inclusive, através do estado emocional.

Além do inchaço e do mal estar, a prisão de ventre costuma causar cansaço, desânimo e irritação.

Fatores que podem desregular a evacuação

As pessoas se adaptam ao que comem, portanto, quando ingerem alimentos diferentes, o organismo poderá estranhar, causando diarreia ou prisão de ventre.

Da mesma forma, o hábito de ir ao banheiro em determinada hora do dia vem acompanhado de alguns outros fatores externos, como chegar em casa do trabalho, terminar um exercício físico, acabar o café da manhã… cada organismo desenvolve uma rotina particular e pode estranhar caso essas ações sejam interrompidas.

Quando a pessoa vive momentos de estresse ou sai da rotina por alguns dias pode acontecer de ter dificuldade para ir ao banheiro, o que tende a normalizar quando resolve os problemas que estavam estressando ou quando chega em casa de viagem.

A ingestão contínua de medicamentos (antiácidos, laxantes, antidepressivos) e de alimentos processados é outro ponto que merece atenção.

Estas substâncias artificiais prejudicam a flora intestinal, dificultando todo o processo digestivo.

Como os alimentos processados praticamente não possuem fibras nem líquido para ser aproveitado, eles podem ficar por dias parados no intestino.

Hábitos que ajudam a regular o intestino

O primeiro passo para ter um intestino que funciona de forma saudável é alimentar-se com qualidade e equilíbrio.

Todos os alimentos devem ser consumidos em porções adequadas ao longo do dia.


  • Fibras: as fibras são muito importantes para o processo digestivo e a evacuação, mas em excesso, podem acelerar a eliminação das fezes, impedindo que o organismo absorva todos os nutrientes do alimento ingerido.
  • Alimentação viva: quanto mais natural, melhor. Invista em frutas, verduras, legumes, laticínios orgânicos, ovos e carnes de criação orgânica, ou seja, quando os animais são criados em pasto e não comem ração nem recebem antibióticos ou hormônios.
  • Água: a ingestão de água é importante não só para o processo gastrointestinal, mas para manter cada célula do corpo hidratada e saudável. Portanto, beba ao menos 1,5 litro de água ao longo do dia, evitando bebidas industrializadas. Se tiver dificuldade de tomar água, equilibre com quantidades de água de coco e chás naturais.
  • Probióticos: os alimentos probióticos são os que passam por um processo natural de fermentação e produzem colônias de bactérias benéficas para o intestino, que é naturalmente formado por trilhões delas. São eles o iogurte natural, o kefir, coalhada, picles, chucrute, missô, kombucha, entre outros.
  • Atividade física: a importância da atividade física regular vai além de aumentar os músculos e melhorar a frequência cardíaca. Ao exercitar o corpo o metabolismo aciona outros sistemas, inclusive o digestivo, que depende de movimentos instintivos dos músculos internos para estimular o processamento da comida e a evacuação.

Sinais de alerta

Se você costuma ter certa precisão na frequência em que vai ao banheiro, com pequenas variações conforme as condições que vive, deve ficar atento no caso de mudanças drásticas.

Por exemplo, é normal que fique alguns dias sem conseguir evacuar caso esteja fora de casa, pois existe um fator psicológico que bloqueia o intestino quando o cérebro sabe que não está em um ambiente conhecido.

Quando você come alimentos muito diferentes do que é acostumado e seu corpo entra em contato com estas diferentes bactérias, também pode ocorrer um desarranjo intestinal, mas que deve voltar ao normal com a ingestão de bastante líquido e a retomada dos alimentos que costuma comer.

Mas se perceber que está com um inchaço excessivo, muitos dias sem ir ao banheiro mesmo estando em casa e outros fatores como muita sede, falta de apetite e gases, pode ser sinal de algo mais sério.

O mesmo vale se estiver com diarreia e esta contiver sangue ou uma coloração muito escura, acompanhada de dor abdominal frequente, náuseas, fraqueza e mal estar.

Pode ser sintoma de uma intoxicação alimentar, inflamação ou outras doenças intestinais, por isso, deve procurar um médico o quanto antes.



Comentar

4 × 1 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.